segunda-feira, 4 de junho de 2007

Caixa

Fui deitar com o dia acordando.

O Jornal da Manhã, já dava notícias de um mundo que mesmo frio, pega fogo.
Quando estava por lá, sentia falta da cor dos dias por aqui, do papo dos passarinhos nos fios.
Hoje sinto uma falta danada das cores, nas ruas dos passos largos.
Sinto falta das avenidas enormes, da troca, da escaleta e espera na Estação.
Sinto falta do café com a Audrey, na gruta.
Das risadas e desaBAFOS com Thiago, da beleza discreta da Sofia, do olhar do Wagner, da massagem da Mattuh, do violão bem tocado do Cris e suas músicas/poemas!
Sinto falta dos sorrisos nos correDORES da escola, dos papos com a Dani na volta prá casa, do maracatu nas festas, das cirandas na praça, dos pés no chão.
Sinto falta do 11EP, dos banhos escondidos, da boca dele no meu corpo, da torta de amendoim, dos papos com Dener no final dos ensaios, da sensibilidade do Robinho e risadas com Cleber!
Saudade do tempero da Maria e da Ca, pendindo o celular prá mandar mensagem.

Desde o dia que deixei São Paulo, com um vestido de bolinhas, jeans e óculos branco, sinto isso.
Hoje sou metade papo de passarinhos, metade saudade!

2 comentários:

jonasrocha disse...

no mesmo frio pegamos fogo e saudades...
no mesmo fio um pássaro
um passa ao lado e ri saudades
há saudade!

presente pra voar - klaxons faixa 3 voar voar
http://soundpedia.com/music/Nzc4NzA=/album/937778/listen.html

Ricardo Siqueira disse...

E da fumaça? Dos assaltantes, dos políticos corruptos, da frieza e insensibilidade, do ritmo estressante, dos 11 milhões de solitários, do rio tietê, do onibus lotado, da revolta contida e da claustrofobia?
Sente falta também?

Às vezes eu trocaria o papo dos pombos pelo de passarinhos.