terça-feira, 21 de agosto de 2007

Sobre abismos.

Teu cigarro, teu café, esse pretonobranco e tuas letras,
deixam o mar que tenho, com gosto de chuva.

Sou mulher de mar, abismos.
Há mar em mim.

6 comentários:

Don Rodrigone disse...

É bom beijar o abismo em prosa. E se espatifar em frases reticentes...

Roberto Leonan disse...

Mulher do mar, tão longe dele.

Sou um homem distânte, ao lado do mar.

Jeremias disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Jeremias disse...

=D muito agradecido

eu vou dizer "não repara nos erros", mas é que to acostumado a escrever só para mim daí sempre deixo tudo errado, acho que vou mudar isso. mas certo dia conheci uma artista que devia ter algo da sua sensibilidade e resolvi ter um blog bonitão e cheio de links pra conhecer meus semelhantes virtuais e ser conhecido por eles. enfim, sê bem vinda, volte sempre. se te agradar deixo comentarios sobre seus textos, digo só que quando quero saber de alguma coisa bonita venho aqui mesmo e esqueço o quão sórdido eu e o mundo podemos ser.

Dreamer disse...

mulher do mar
beija o horizonte
e emociona ao poe-mar...

Rodrigo Robleño, o Viralata. disse...

Há mar... a lua nua...

O porto perto
O corpo certo.