quarta-feira, 20 de janeiro de 2010

Bom dia.

Acordou marcada de lençol e sonho.
Na geladeira, um bilhete escrito com giz de cera dizia:
"Pão e tu me bastaria".

E enquanto preparava o café pensava: "Palavras são uma extensão do corpo".

13 comentários:

céu e saudade disse...

e pedacinho d'alma.

Emely disse...

anulo meu corpo!

Fabiola disse...

Eu canto a felicidade de ainda existirem almas como a sua. Gostei da sua maneira de Ver e Contar a vida.
Parabéns!

Marcia Barbieri disse...

Adorei, uma poética encarnada...

beijos

carolina disse...

isso é INSANAMENTE lindo.

Lucas Peixoto disse...

Acordei a pouco e fiquei um póuco mais feliz ao ler-te. Que sorte a minha: já comecei o dia bem!

Mendelson disse...

Bacanas os teus poemitos! Acho que voltarei com frequência...

Daniela Delias disse...

Lindo o teu blog! Te encontrei nas indicações do Ian...que achado! Abração!

gabriela m. disse...

completamente verdade.

Daniele Galvani disse...

espantou-me a simplicidade com que vc trata temas tão sublimes =)

Ian Lehmann disse...

"..marcada de lençol e sonho."
doce isso.

baaah a Dani te achou =D
leia a Daniela Delias!
ela é fenomenal! *.*

Meire disse...

Que lindo!

co-existe disse...

então as ações seriam uma extensão da alma?