sábado, 20 de fevereiro de 2010

O nome das coisas.

- Do que você mais sente falta?

Ele me perguntou do que eu mais sentia falta, com a cara mais lavada do mundo!
Eu sorri fingindo não entender a pergunta, enquanto procurava desesperadamente o maço de cigarros dentro da bolsa que parecia não ter fim.
Ele sorriu fingindo não perceber que eu queria acender um cigarro e mudar de assunto e continuou com aquele olhar esperando por uma resposta que poderia mudar todo rumo das coisas.
Segundos, foram segundos que pareciam meses, aqueles meses todos que dividimos cama, pão e vida.
E enquanto as mãos procuravam maço de cigarros e isqueiro, eu pensava sobre o que mais sentia falta.
Poderia dizer que eram das horas e horas de papos e risadas e descobertas juntos na madrugada, das voltas pra casa com o dia amanhecendo ou de trocar olhares de longe. Eu poderia contar sobre a falta absurda que sentia do telefone tocar e ouvir a voz dele dizendo qualquer coisa sobre o mercado, o aluguel, a política, nós dois. Poderia dizer que sentia falta de chegar do trabalho tarde-tarde, entrar no quarto e encontrar ele dormindo feito criança no chão e então tirar o vestido devagarinho e sentir a pele dele na minha: dormir e acordar amando.

Eu poderia dizer, mas eu encontrei o maço de cigarros, acendi e olhando nos olhos dele, disse que o que mais sentia falta era do cheiro de mar.

13 comentários:

Ian Lehmann disse...

quando eu crescer, quero escrever q nem tu *.*

eu sentia falta dos sorrisos. daqueles sorrisos largos e luminosos. dos q eu fiz e dos q ela fez. aih eu vi q pensava neles tanto ou mais do q quando eu os via. e percebi q eles nunca haviam ido embora.

Lucas Peixoto disse...

E ele acreditou??

Delon disse...

Parece que eu penso que a maior falta que se sente sempre é de algo que nunca se teve, que a gente não sabe o gosto, nem a sorte. Parece que eu penso que sempre a gente sente é falta de algo novo...

Emely disse...

eh nessas horas que penso em voltar a fumar.

Ricardo Siqueira disse...

Saudade das postagens frequentes.

Belíssimo, como sempre.

B., Antonione disse...

:)

Fantástico, moça!

É impressionante como um breve instante pode condensar todo um mundo de sensações.

Antonione disse...

Eu fico lisonjeado, moça, que tenha lhe agradado o tom de poesia no ar...

Muito me impressionou a sensibilidade de sua escrita, pois corre a um só tempo doce e expressiva a palavra.

A bem dizer, agradar-me-ia acompanhar o seu 'canto' com mais frequência.

Muitas melodias para sua voz!

carolina disse...

e o cheiro de mar era uma mentira conveniente ou realmente te faz falta? a mim eu sei que faz. mais do que amores passados.

Marina disse...

você me insipira tanto!

paulo_puo disse...

acho necessário dizer-te que é um dos meus favoritos este!

** Tatiana disse...

Adorei Lara ...
Primeira vez q entrei ...
Vc é 10000000 ...
Saudadesssssss ...
Bjão nega ...
Amei !!!!!!!

AMe disse...

~

May disse...

Lindo *-* poxa, sem palavras. gostei de tudo :)