quinta-feira, 23 de setembro de 2010

Céu

Amor querido, é cheio de estradas, de climas, de sons.
Cheio de sorrisos, de trancos e barrancos, de escorregadores e soldadinhos que limpam as dores que escorregam de lá de onde ela vem. Amor meu bem, pode morar nos olhos, entre a língua e o céu da boca ou nos pés. Não se apresse não, que amor desconhece tempo, amor confunde, mexe no peito, no dia, muda as cores e as coisas de lugar, mas não, não me olhe assim cheio de mar nos olhos, que amor é bonito, doido e as vezes doído, mas bonito, bonito de encher a boca pra falar, sim, é bonito falar com a boca cheia de amor. Amor meu pequeno, é grande-grande, maior que o meu e teu céu juntos e cabe em nós. Amor é uma poeirinha azul marinho que transforma e transborda. Amor vai e vem, amor mora, amor vai embora sem avisar e deixa a gente sem entender nada direito. Amor embaça a visão, faz música pros ouvidos, arrepia a pele e muda tudo de novo. Amor é isso pra mim, aquilo pra você, outra coisa pro rapaz. Mas saiba meu bonito, amor é leve, cheio de formas e pedaços espalhados por aí.

Amor meu amor, é feito nuvem.

3 comentários:

Jamil S.P. disse...

"Amor embaça a visão..."
por coincidência, hoje mesmo eu ouvia "When your heart's on fire, you must realise, smoke gets in your eyes..."
texto muito bonito, como sempre!

Cristiano disse...

Amor é tatuagem no peito. Amor não tem jeito. E sempre são bonitas, não importa, são sempre bonitas as canções e os textos de Lara.

Vital disse...

lindo lindo