sábado, 20 de novembro de 2010

Montrigaud

É da saudade crua,
essa de secar boca
que a espera nasce.

É da espera nua,
essa de mudar crença
que a saudade alimenta.

É no cheiro de domingo,
nesse passo raso,
que a saudade espera.



* O queridíssimo Cris Gouveia musicou lindamente, transformando minhas letras em som!
Ouçam! =)

9 comentários:

Vital disse...

ficou muito bom.

você podia gravar uma tuba triste pra acompanhar.

beijo.

Daniela Delias disse...

Uau, Larissa!!!! Que beleza!
Beijão!

rodamoinho disse...

Um belo conto!
Um belo canto!

Seus cantos são lindos!

Dani Guerra. disse...

Já decorei! *.*

Emely disse...

enquanto isso danço!

Larissa Minghin disse...

Não ficou lindo? =)
Fico tão feliz com a presença de vocês!

Vital: Vou estudar a possibilidade da tuba, é uma boa ideia! Beijo e saudade! =)


Dani Delias: É sempre muito bom tuas palavras por aqui, fico toda orgulhosa de imaginar que me lê. Sou sua fã!


Rodamoinho: Obrigada, rode mais vezes por aqui! =)

Dani Guerra: Minha querida, obrigada por ser sempre tão linda! Fico imaginando você cantando essa música com sotaquinho-delícia. Rs!

Emely: É tão bom saber que você continua por aqui, lendo, ouvindo e também dançando! Beijo enorme flor.

paulo_puo disse...

apaixonado! *-*

puo.

joão livra disse...

m a r a v i l h o s o

Lucas Peixoto disse...

Olha, nem te conheço mas me identifico tanto. Adorei, e já aprendi também.