sexta-feira, 13 de julho de 2007

Diferente

Sem-caber-em-mim.
Mar com barquinho de papel
daqueles feitos por criança com o olhar bonito!

Arrisca, pula e (apaixo)nada!

Estendo ondas e mudo o gosto do sal
deixo doce, deixo ser seu.
Faço da areia minhas mãos.
Me sinto mar, barquinho, sal no sol.

É sempre assim.
Me perco e
me encontro
num canto
pensando
em
ser mar.

Um comentário:

Roberto Leonan disse...

Não discuto a diferença, não há de ser igual, diferente é parte natural...


E sobre o barquinho...

Tem vela?

Adoro barquinho com vela!!!!