sábado, 14 de julho de 2007

Poesia-banana

com CJ e Ricardo Siqueira

Noite sem sono, saco, pão, nem casca.
Poesia-banana
Que me pesa os olhos e o corpo no chão
sem casca, sem pele, sem saco, sem pão.
Poesia-banana
Não deixa deitar pra levantar, leve andar.
Poesia-banana
Que não se digere e nasce do olhar embotado,
rosto cansado e mãos a pedir.
Ela tira da cama
a boca que teima, o tato que caça e
o olhos que não conseguem fechar.

"Não deita!
Escreve poeta!
Digere a banana!"

Como será a noite dos que preferem maçãs?

6 comentários:

maretzzz disse...

mto bunitinha lara!!!

adorei!!!

adoro as coisas q vc escreve!!!

queria estar aki pra estudar vc na escola!!! "a escritora de um estilo quase sempre na 3º pessoa! Q era super amiga da atriz vencedora de 7 oscars Mara Duarte, casada cm Jivago, um grande lutador de artes marciais!!!! "rs*

bjO

Ricardo Siqueira disse...

Incrível como você conseguiu deixar aquilo bom!

O mérito é todo seu moça!

CJ disse...

concordo com o de cima!

Roberto Leonan disse...

Os que gostam de maçãs?


Preferem o dia!

Rodrigo Robleño, o Viralata. disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Rodrigo Robleño, o Viralata. disse...

Banana as vezes é bom, como agora...

Lembrou-me esse:

Andando pelas ruas solitárias do lugar
Sem ter o que fazer começo a cantar

E, cantando, penso no que canto
Canto o que penso e pensando, canto

E vou seguindo,


Cantando e pensando, pensando e cantando


E quando canto movo meus lábios
Movo os lábios porque canto
Canto o que penso
Então movo os lábios porque penso...



O que estarão pensando as pessoas que não movem os lábios?